Atabasabar

O tambor tem palavra, tem sentimento, história e musicalidade. Na Bahia, a cultura do ritmo está ligada, de forma inseparável, às manifestações culturais de matriz africana. Pensando nisso, em outubro de 2007, o mestre  Doudou Thioune Rose, referência em música no Senegal, enxergou a possibilidade de difundir a cultura musical do seu país, a África, dentro de Salvador. Iniciou suas atividades nas maiores escolas de música da Bahia, desenvolvendo oficinas rítmicas do tambor Sabar.

O encontro do mestre africano com alguns dos maiores percussionistas da Bahia transformou a vida, a arte e história de um deles: Marcus Musk. O convívio com Doudou, deu ao baiano, a possibilidade de aprimorar, entender, estudar, pesquisar e criar novos toques, ritmos e música. Inspirado, Musk passou a desenvolver estudos práticos para embasar esta criação para o segmento da percussão, mesclando as influências do Senegal-África a toda identificação da vibrante percussão da Bahia. E assim, surgiu a banda Atabasabar, um novo olhar musical, onde a percussão fala mais alto, guiada pela mistura perfeita entre o Atabaque com o Sabar.

Este instrumento, que dá nome a banda, além de ser o principal diferencial, também é produzido na Bahia por Musk. Há alguns anos, o músico se especializou aprendendo os segredos da fabricação dos tambores e toda particularidade desse universo senegalês. O brasileiro foi preparado pelo grande mestre africano, e passou a respirar essa linguagem de maneira intensa, onde percebeu a necessidade de registrar novas fusões rítmicas usando da sua grande habilidade para criação.

A banda Atabasabar apresenta uma nova música, o tambor como regente e uma forma de comunicar, vibrar e difundir o toque do instrumento com a batida do coração. Atabasabar se distancia do mercado existente, pontuando originalidade, harmonia, arte e gerando um espetáculo diferenciado que tem o poder de conectar o público à história da Bahia com a África.

O show Adùpé, palavra Yorubá,  que significa ‘obrigado’, pretende celebrar a vida vinda da África, suas heranças culturais difundidas na Bahia e a união do som dos atabaques com o Sabar.Pontuando originalidade, harmonia e gerando um espetáculo diferenciado, que tem o poder de conectar o público a sua verdade, arte e, principalmente, a história da Bahia e da África, o show promete um repertório autoral e releituras de sucesso, onde os verdadeiros mestres da banda são os percussionistas que se unem com o objetivo de levar alegria, paz, interatividade e música original para os espectadores.O grupo promete um espetáculo vibrante apresentando as nuances de uma  percussão bem elaborada, onde existem momentos sutis assim como  acentuações fortes e marcantes, além das característica da forma tradicional como se toca o Sabar, fazendo com que a plateia possa navegar em uma linha diferenciada  de  música  percussiva  feita  de  maneira particular.

 

IMG_2584